1/22/2011

Vodka.






A música dentro de mim,


tu olhas-me como quem me toca os demónios,

vodka sem gelo,

e o mundo a tomar os contornos dos meus olhos, dos meus braços,

eu a dançar no mundo, os meus braços no alto a tocar as luzes de estrelas inventadas,

eu a tocar o teu corpo através dos olhos,

o meu sexo,

tu a olhares-me sem parar. Tu a fazeres-me corar,

vodka sem gelo,

tu a vires até mim. Tocas-me, arrepias-me, sussuras-me ao ouvido palavras que vejo como disconexas como se não pertencessem ao meu mundo, depois

beijas-me,

as línguas, o saber quente do meu corpo com o sabor quente do teu corpo,

molhas a minha língua com o sabor da tua?

Sinto o gelo ardente, a música nos meus ouvidos, nos meus olhos, a música nos meus braços, nas minhas pernas. O meu corpo no teu corpo,


o escuro,


eu a tocar-te no escuro, eu a saber a vodka sem gelo, o líquido incolor da cor do fogo,

o escuro,

o escuro do calor do meu corpo na verdade nua do teu sexo,

vodka sem gelo,

o sexo, o meu sexo,

You make me this, Bring me up, Bring me down, Playing sweet, Make me move like a freek.




0 Comentários:

 
 
Copyright © Palavras minhas.
Blogger Theme by BloggerThemes Design by Diovo.com