5/31/2009

O teu título é Tudo








Não te lembro na rua direita, e era a única rua onde podia pensar-te amiga rebelde. Se houvesse uma rua seria essa, assim não temos rua, nem uma memória para a podermos assassinar, memória inútil do que não existiu, fora isso temos todas as memórias do mundo. Admiro-te, sabias? Mesmo que não saibas, ou saibas, irei sentir o mesmo, por isso pura retórica de miúdos de dez anos aprendizes do mundo, onde a altura é tudo o que importa. Nós, altura já temos, agora, só nos falta o mundo, a sorte é já termos companhia.

Prometi-te um texto, dou-te o sentir, aceitas? Desculpa a demora minha amiga rebelde.

2 Comentários:

Anónimo disse...

Não me lembras na rua direita porque ela não soube dar-te recordações de mim.
Andei muito por lá. Gritei "vivas". Descalcei-me e viajei. sim, viajei sobre uma calçada gasta pelo tempo, que não teve tempo de se dar a nós.

Um beijinho.

De: Helena [Num mundo pequeno demais para mim, para nós, rebeldes à procura de uma rua.]

Para: Um amigo***** com um sentir de infinitas estrelas

Christiana disse...

"altura já temos, agora só nos falta o mundo, a sorte é já termos companhia..."

simplesmente perfeito!

 
 
Copyright © Palavras minhas.
Blogger Theme by BloggerThemes Design by Diovo.com