10/18/2010

Orgulho


(Tive medo)

Não te contei que me fizeste falta, que houve alturas em que encostei a cabeça na janela de olhos fechados e imaginei que o teu ombro estava ali e a tua energia entrava em mim e a minha tristeza era filtrada pelo teu coração e no fim sorria a olhar para ti e tu sorrias para mim, porque naquele momento a tristeza que é grande parte de mim se ia embora porque quando estou contigo não há espaço para mais nada.

(Imaginei-te tanto)

Imaginei-te, imaginei-te mas não te procurei, não te falei, não te olhei, não me sorriste. No céu as nuvens não escreveram o teu nome, na minha cabeça tudo era o teu nome, o teu rosto, o teu cheiro, na minha cabeça só eramos nós. Não te disse nada, não me disseste nada, depois descobri que o orgulho é isso é esperarmos que o outro diga aquilo que queremos tanto dizer mas não dizemos.

(Queria falar-te mas não o faço)

1 Comentários:

luciampribeiro disse...

orgulho...palavra vil e crua em me encaixo que nem uma luva...

 
 
Copyright © Palavras minhas.
Blogger Theme by BloggerThemes Design by Diovo.com