6/11/2011

Os olhos.



A casa parece que dorme, fechada como uma concha mostra-me a escuridão em que tudo foi criado. Sem corpo, parece que respira. Parece-me ver na penumbra longos braços e o céu vermelho da boca da casa que nada diz, ou que nada abraça. Eu só vejo como se todo o meu corpo e entendimento fossem feitos de olhos microscópicos que me forram por dentro e por fora e que existem só para existir. Dentro de mim, imagino os vários olhos que pertencem aos sonhos e que por isso são diferentes de mim, como se cada sonho tivesse um corpo formado apenas por um par de olhos que faz companhia a outro sonho com outro par de olhos e assim infinitamente. Porque afinal é isso viver, ter várias pessoas dentro de nós, cada uma delas chamada sonho que tem um par de olhos e que vê todas as coisas com a sua forma particular de ver, nem mais, nem menos possível do que a minha ou a tua. Não achas?


4 Comentários:

Isa GT disse...

Só sei que os olhos são uma espécie de janelas e quando, com as minhas, espreito outras... às vezes, vejo coisas que preferia não ver... até deixam as minhas... todas embaciadas ;)

Bjos

Edgar Semedo disse...

Muito verdade, mas com os nossos olhos também vemos a alegria dos outros que por serem nossos alegram os nossos olhos.

:)

beijo Isa,

Edgar Semedo

Fê-blue bird disse...

O espelho da alma, será?

Beijinhos

Edgar Semedo disse...

Olá Fê-blue bird,

É o que dizem, eu gostava de acreditar que sim.

Abraço

 
 
Copyright © Palavras minhas.
Blogger Theme by BloggerThemes Design by Diovo.com